Curso Básico em Shell Script – #01

O sistema Linux apresenta as melhores soluções para a área de TI, descomplicando a vida dos administradores de sistemas. E, por esse motivo, ele vem ganhando a preferência em relação a outros sistemas no mundo corporativo.

O fato é que o Linux possui ferramentas que otimizam os serviços de TI de uma empresa, pois o programa é constantemente aprimorado por especialistas em desenvolvimento de software. Assim, o profissional de TI tem em suas mãos um sistema que ajudará em uma boa gestão de TI.

Neste artigo, vamos aprender a eficiência e praticidade do sistema Linux você irá aprender como fazer a programação shell script através do bash. Você com certeza ficará impressionado com a facilidade oferecida pelo sistema.

PROGRAMAÇÃO SHELL SCRIPT

Utilizando o interpretador de comandos bash ou shell, podemos criar códigos ou scripts no Linux. Esses códigos criados facilitam muito a vida do desenvolvedor ao economizar tempo, pois permitem automatizar tarefas de rotina e também tornam mais simples ações como: abrir programas e esvaziar diretórios temporários e lixeira, entre outras tarefas.

Antes de iniciar a programação, verifique se entrou no programa como usuário comum ou root. Se estiver no modo root, mude para usuário comum. Por que a mudança? Como root qualquer ação descuidada do desenvolvedor será aceita pelo programa e poderá causar danos ao sistema operacional.

Para fazer essa verificação, basta ao abrir o terminal e verificar o qual é o símbolo ao lado do cursor. O símbolo $ significa usuário comum, enquanto o símbolo # é o modo root. Para mudar para o usuário comum, digite exit.

CRIAR UM ARQUIVO

Neste caso é preciso criar um arquivo para digitar o script. Há dois modos de realizar essa ação: via modo gráfico ou via terminal. No primeiro caso, você deve clicar com o botão direito do mouse no diretório que desejar e, em seguida, pode escolher entre criar um novo documento ou arquivo de texto.

No modo via terminal, utilize o comando vi ou nano. Dessa forma irá criar e automaticamente Abrirá o arquivo:

vi exemplo.sh

Outra opção é digitar o comando touch, no entanto o arquivo apenas será criado.

touch exemplo.sh

PERMISSÃO AO ARQUIVO

Para começar a editar o arquivo, é preciso conceder a permissão de escrita a ele. Se você digitou o comando vi, pressione ESC para que apareça o caractere :. Então digite:

!chmod 755 %

Caso tenha optado pelo comando touch, escreva:

chmod 755 exemplo.sh

Vamos entender o que foi feito: o comando chmod é usado para conceder permissões em diretórios e arquivos, enquanto o valor 755. O caractere ! obriga o comando vi a executar o chmod, enquanto o símbolo % refere-se ao arquivo atual.

EDITAR E EXECUTAR O ARQUIVO

Depois de dar a permissão do arquivo, estamos pronto para começar a parte de edição do arquivo e vamos utilizar o comando vi para essa tarefa. Abra o arquivo de digite:

vi exemplo.sh

É necessário pressionar a tecla Insert do teclado ou a letra i para colocar o vi no modo inserção.

Nesse ponto, você precisa definir qual Shell será usado vamos escolher o bash. Porém, você pode escolher outro interpretador de comandos, como sh, ksh ou csh. Para usar o bash, digite:

#!/bin/bash

INSERIR COMENTÁRIOS

Esse item é fundamental na programação do sistema, porque, ao inserir comentários que expliquem a função do código e que ações estão sendo feitas no programa, o programador não perde a linha de execuções.

Inicie com o caractere # para inserir o comentário, como mostra o exemplo abaixo:

#!/bin/bash

#comentario

USO DAS VARIÁVEIS

Deixar de declarar as variáveis pode prejudicar o funcionamento dos comandos, visto que são elas que armazenam informações importantes que serão utilizadas pelos códigos. Por isso essa ação é tão importante na linguagem da programação.

Para declarar a variável, siga o exemplo:

nome_da_variavel=valor

Vale lembrar que o valor pode ser strings ou números. Para utilizar o valor, devemos colocar o símbolo $ na frente do nome que será inserido.

ENTRADA DE DADOS DO USUÁRIO

Se o script pedir ao usuário o fornecimento de dados para a entrada do processamento, o programador precisará digitar um comando para que o ele leia os dados escritos. Nesse caso, digite:

read nome_da_variavel_para_armazenar_o_valor_a_ser_lido

Validação da execução dos comandos.

Um script precisa validar suas tarefas para cumpri-las com eficiência. Para isso, acompanhe sempre os logs, para que possa perceber erros ou melhorias. Existem recursos de monitoramento que podem ser utilizados.

COMANDO DE SELEÇÃO

Um comando simples que permite a execução de uma tarefa baseada na ação de um usuário que esteja usando o seu sistema é o condicional.

if [ CONDICAO ] ;

then

AÇÕES

fi

É importante lembrar que para cada if aberto, deve haver um fi que feche a sequência a mesma regra serve para os colchetes.

FUNÇÕES

Para organizar, separar e estruturar um algoritmo, é necessário o uso de funções não importa a linguagem de programação utilizada.

nome-funcao()

{

AÇÕES

}

INSERÇÃO DE ARGUMENTOS

O shell script recebe dados fornecidos por outro programa ou por um usuário com a finalidade de produzir saídas esses dados são os argumentos. Veja alguns dos nomes que qualificam os argumentos:

$# — total de argumentos que foram passados
$* — retorno aos argumentos
$0 — nome do script executado

Como você pôde observar, o Linux é completo, e muitos desenvolvedores decidem fazer um curso de especialização no sistema para aproveitar bem todas as suas ferramentas e funções. O profissional de TI aprende como utilizar os diversos comandos, detalhes técnicos e como montar o sistema de acordo com as necessidades de sua empresa.

Este artigo ajudou você a entender como usar a programação shell script no bash de seu Linux? Deixe seu comentário!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You May Also Like